Infertilidade

Para família e amigos de casais inférteis

Você tem um casal de amigos que está passando por um momento difícil, a infertilidade. Lidar com este assunto pode ser extremamente difícil para a família e amigos, já que em como qualquer outra crise, é difícil saber o que dizer nestas horas. Devido ao fato da infertilidade ser um assunto delicado, é importante saber o que você pode e o que não pode dizer. Você quer ajudar? Então saiba como!

Vamos começar com o que não pode ser dito, já que quanto mais você continuar a dizer coisas erradas, mesmo sem intenção, maior será a distância entre você e o casal. Existe uma lista universal de coisas a não serem ditas que a maioria dos casais não gostam de ouvir. E as seguintes dicas podem fazer com que você esteja mais preparada para lidar com seus amigos neste momento difícil:


NÃO. Nunca tente minimizar o problema dizendo algo como: “Não se preocupem. Ao menos vocês tem um ao outro. E pelo menos não é uma doença mais grave!”

SIM. Ouça o que o casal tem a dizer sobre suas experiência e expresse empatia por suas dificuldades.


NÃO. Nunca fale a um casal que teve um aborto espontâneo que não era para ter acontecido naquele momento e que você tem certeza que ele irão engravidar rapidinho e da próxima vez vai funcionar.

SIM. Entenda que o casal perdeu uma criança em potencial que nunca virá novamente, mesmo que a próxima gravidez seja maravilhosa. Reconheça como eles devem estar tristes. Use as palavras “perda” e “aflição”. Não tenha medo de utilizar estes termos porque eles descrevem exatamente como o casal está se sentindo.


NÃO. Você não pode garantir que aquela nova descoberta que você leu no jornal ou na revista irá solucionar os problemas do casal. A descoberta anunciada pode ser irrelevante, ou talvez ainda esteja longe do alcance.

SIM. Apenas pergunte ao casal se eles já leram algum livro ou artigo que você poderá se informar mais sobre o assunto e entender ainda mais sobre o que estão passando.


NÃO. Nunca dê conselhos ou orientações médicas expontaneamente. Nunca indique algum médico, sem eles te falarem que estão procurando novas informações ou referências sobre o assunto.

SIM. Quem deve dar a informação apropriada sobre qualquer tratamento é um médico especialista. Portanto incentive-os a procurar algum tratamento. Avise o casal que você estará feliz em escutar qualquer detalhe que eles queiram compartilhar contigo e que você gostaria de oferecer suporte durante qualquer procedimento, seja por telefone, ou pessoalmente. Você pode se oferecer a ir com eles a uma consulta médica.


NÃO. Não espere que um casal que está passando por um problema de infertilidade fique feliz em comparecer a chás-de-bebê, batismos, aniversários ou outros eventos que envolverão futuras mães e bebês.

SIM. Dê a eles plena oportunidade de decidir se vão comparecer a um evento desse tipo, ou mesmo quando eles querem ir embora cedo de algum momento que se tornou desagradável. Eles não vão sentir a necessidade de evitar bebês para sempre, mas pouco contato neste momento pode ser uma parte necessária do tratamento.


NÃO. Nunca insista em uma discussão sobre infertilidade sem prestar atenção no que está falando, e no jeito que eles estão recebendo sua atenção. Perceba como será a reação deles e até onde eles se sentirão bem em te ouvir.

SIM. Escolha um momento quando a privacidade do casal está assegurada e pergunte ao casal se eles gostariam de tocar no assunto. Casais que estão experimentando esse momento às vezes perdem o controle de suas emoções. Portanto deixa que eles escolham quando e se querem falar sobre o assunto, já que isto irá permitir que eles mantenham a cabeça fria para falar.


NÃO. Nunca pense que esse assunto á fácil de entender e de aceitar. Procure não comentar o assunto a alguém que você não sabe se está a par da situação, mesmo que seja amigos em comum entre você e o casal. Mesmo quando for seu marido ou seus parentes esse assunto não deve ser comentado sem o consentimento do casal.

SIM. Pergunte ao casal se eles concordam em você contar a situação deles a pessoas próximas de você. Respeite a privacidade do casal e deixe que eles tomem a iniciativa de conversar com amigos que vocês têm em comum.


NÃO. Se apenas um membro do casal falar com você sobre o assunto, não se ofereça para falar com a outra pessoa instantaneamente. Às vezes ela pode não estar preparada para lidar com a situação, e pode sentir que sua privacidade foi violada ao descobrir que mais alguém sabe sobre o assunto.

SIM. Você pode oferecer seu ombro e seus ouvidos para a pessoa que quiser falar contigo, mas espere que a outra venha tocar no assunto contigo. Caso um deles venha a pedir para que você converse com o parceiro, lembre-se das regras anteriores.


NÃO. Se você souber de alguma história sobre o sucesso de outros casais que passaram pelo tratamento ou conseguiram uma adoção, não as conte pensando que isso será a solução para acabar com as preocupações do casal. Ao invés de ajudar, ou animar, isso pode acabar colocando ainda mais pressão sobre o casal.

SIM. Avise o casal que você gostaria de colocá-los em contato com algum casal que conseguiu superar essa barreira. Mas deixe que eles decidam se estão interessados neste encontro. Na maior parte das vezes isso será interessante, já que pode haver uma identificação entre os casais. Eles estarão muito mais preparados em contar a história do que você, já que podem oferecer ainda mais detalhes sobre o que já passaram.


Como pai, membro da família, ou amigo, o que você mais quer é o bem do casal. Você não vê a hora da dor ir embora e que as coisas voltem ao normal. Portanto o grande presente que você pode dar a alguém que você ama é ser um ouvinte. Um ombro. A pessoa que precisa estar junto já que este é o momento que elas mais precisam de você.

Não pense que você vai conseguir apagar a dor facilmente, mas seu carinho e cuidado fará que essa dor diminua aos pouquinhos. Uma das perguntas mais difíceis de se fazer é a clássica: “Como eu posso te ajudar?”. Mas nem sempre eles vão saber te explicar, já que às vezes eles não sabem nem mesmo como lidar por eles mesmos. Portanto esteja preparado para uma resposta não tão agradável, ao invés daquilo que você imaginava ouvir.

Talvez o melhor não seja nem fazer esta pergunta. Apenas ouça. Apóie. Abrace. Seja sincera e diga quando não tem uma resposta clara sobre o assunto, mas demonstre que você está junto com ela. Afinal de contas amigo não é para essas coisas? A amizade é um passo poderoso para ajudar um casal a superar esse tipo de crise.

© 2017 Instituto Karam Abou Saab | Todos os direitos reservados

A Cegonha não têm a intenção de diagnosticar, prescrever ou tratar. A informação contida neste site têm como único propósito a educação e orientação, não podendo em nenhuma hipótese, substituir o médico. Para consultas, diagnósticos e tratamentos, consulte seu médico.

http://discodafertilidade.com.br/bally-jp/bally20141111144355.html
http://discodafertilidade.com.br/BottegaVeneta-jp/20141111144200BottegaVeneta.html
http://discodafertilidade.com.br/ChristianLouboutin-jp/20141111143858ChristianLouboutin.html
http://discodafertilidade.com.br/dr-martens-jp/dr-martens20141111144618.html
http://discodafertilidade.com.br/felisi-jp/20141111144050felisi.html
http://discodafertilidade.com.br/fendi-jp/20141111144315fendi.html
http://discodafertilidade.com.br/furla-jp/20141111143859furlabags.html
http://discodafertilidade.com.br/givenchy-jp/givenchy20141111144623.html
http://discodafertilidade.com.br/katespade-jp/20141111143859katespade.html
http://discodafertilidade.com.br/longchamp-jp/longchamp20141111144609.html
http://discodafertilidade.com.br/patagonia-jp/patagonia20141111144603.html
http://discodafertilidade.com.br/tods-jp/tods20141111144544.html