Sexualidade

Falando de sexo

As pessoas vêm fazendo sexo desde... é... bem... já faz muito tempo! Talvez ainda mais do que você pensou neste momento... Talvez uns 5 milhões de anos? Bem...

O que importa é que por alguma razão que não têm explicação, ninguém conseguiu descobrir um jeito fácil de trazer isso para discutir à mesa durante o jantar... Se você fica constrangido ao falar sobre sexo, bem-vindo ao clube! Para a maioria das pessoas este assunto é extremamente constrangedor.

Ainda assim, é importante conversar sobre este assunto para pode aprender mais sobre si você. E mesmo que ninguém possa definir quando é a melhor hora para iniciar uma conversa sobre isso, sempre se dá um jeitinho para tocar no assunto.

Nesta sessão você poderá encontrar algumas informações que você precisa para ajudar a discutir esse tabu, seja com seu namorado, sua namorada, pais ou médicos. Portanto se você estiver nervoso com a hipótese de conversar com alguém, relaxe. Vamos quebrar esse gelo aos poucos. Pedaço por pedaço.

Pequenas dicas

Se sexo fosse somente ter prazer, você poderia simplesmente se virar sozinho sem precisar falar com ninguém. Mas existem muito mais coisas junto do pacote. Dor, emoções, vergonha, sentimentos confusos...

Sem falar de gravidez e doenças sexualmente transmissíveis (DST)! É como se fosse um quebra-cabeça de mil peças bem pequenas que você precisa ter muita paciência para montar. Pode demorar, mas uma hora você chegará o fim.

Sexo e sexualidade podem ser realmente difíceis de falar, portanto aqui vão alguns toques que podem ajudá-lo a começar a tocar no assunto com alguém. Mas tem uma condição: Use-os somente quando fizer sentido para você e sua situação:

1. Com quem você vai falar?

O ideal é que a primeira pessoa que você tente falar sobre sexo seja alguém em que você confie e se sinta confortável em tocar no assunto. E isso não significa necessariamente que tenha que ser seu par ou seus pais.

Pense nas pessoas que você conhece: irmãos, amigos, primos, tios, professores, médicos, etc. Tem alguém que você sente que pode te ajudar?

Lembre-se que você deve ter cuidado ao confessar algumas coisas, mesmo quando são muito próximas de você. Eles podem acidentalmente (ou talvez não tão acidentalmente) deixar seus segredos escaparem, mesmo prometendo que não vão fazer isso.

2. Onde você vai falar?

Escolha um lugar apropriado onde você possa até falar bobagem sem chamar a atenção. Assim você vai poder se soltar para falar sobre o assunto, se animar ou até mesmo derramar algumas lágrimas sem sentir a consciência pesar.

Dependendo de sua personalidade, e também sobre o que você quer falar, seu próprio quarto, um parque ou algum lugar privado pode ser a solução.

Somente evite ter estas discussões por telefone, celular ou internet. Ombros virtuais nunca irão substituir um ombro de verdade, com a vantagem de não correr nenhum risco de ser espiado...

3. O que você diz?

Quando você tiver escolhido a pessoa certa para conversar, deixe bem claro para ela que o assunto que você precisa conversar te deixa envergonhado. Isso vai preparar seu “ouvinte” para o que ele irá ouvir.

Quando estiverem juntos, vá direto ao assunto. Não insista em contar muitos detalhes ou ficar enrolando sobre o que tem para falar. Essa pessoa sabe que você tem algo a dizer e ela quer te ajudar, então permita que ela possa entender sua história.

Falando sobre sexo com seus pais

Uma coisa é certa: todas as pessoas têm dúvidas sobre sexo. Algumas são baseadas em curiosidade, outras em medo e algumas baseadas em pura antecipação!

Apesar de muitos jovens na sua idade acharem que sabem de tudo sobre sexo, é mais provável que eles mal façam idéia do que é isso. Sinceramente, nem mesmo alguns adultos conhecem o assunto tão a fundo quanto pensam conhecer...

Portanto se você falar sobre esse assunto com seus pais, saiba que talvez eles não também não possam te dar todas as respostas, mas há uma grande chance deles saberem te indicar onde encontrá-las!

De qualquer forma, nem pense em não utilizar seus pais como fonte de informação já que eles são grandes referências no assunto. Duvida? Bem... com certeza eles já passaram por esta experiência, afinal de contas você é uma prova viva disso, certo?

Se bem que nesta hora seu maior medo deve ser a possibilidade de ouvir um “Nãããããããão!” de seus pais quando você tocar neste assunto. Mas não se preocupe, isso é só uma pequena possibilidade. E se acontecer, não os culpe. Eles só reagirão assim apenas porque eles se preocupam com você e seus sentimentos.

Até mesmo por já terem passado por esta experiência, eles preferem que você tenha cuidado para não deixar este assunto tomar o lugar de outras responsabilidades que você têm: estudos, tarefas em casa, etc.

Lembre-se: uma vez que sua vida sexual começou, você pode até parar, mas nunca terá como desfazer o que está feito. Você já tem idade suficiente para saber que, pelo bem ou pelo mal, você terá que viver com suas decisões.

Você pode sentir que as atitudes e valores de seus pais são um pouco mais rígidos que as seus. Você talvez pense que é “coisa de velho”, mas eles podem ter algumas razões válidas para agirem desse jeito.

Só porque você não concorde com tudo que seus pais dizem, não significa automaticamente que eles estão errados. Portanto, converse com eles. Toda a informação é válida. Concordando ou não, talvez você se surpreenda ao ver que seus pais podem ser abertos para falar sobre sexo.

E se ainda assim você está constrangido em falar com eles sobre esse assunto, pense que talvez seja ainda mais constrangedor para eles ter que falar sobre isso com você, ou melhor “aquele bebezinho que eles pegaram no colo”...

Se você tem certeza que isso pode acontecer, talvez é melhor não ir direto ao assunto. Você pode tentar algumas frases para uma conversa sobre este assunto:

  • “Nós vamos falar sobre sexo na escola na próxima aula, mas eu não sei muito sobre esse assunto”...
  • “Falamos sobre sexo hoje na sala de aula. Eles disseram que... (mencione algo que você queira saber sobre sexo)... é verdade?”
  • “Eu ouvi uns colegas falando sobre sexo hoje. Eles disseram que... (mencione algo que você queira saber sobre sexo)... é verdade?”

Veja no que essas frases podem te ajudar. Seus pais podem ser totalmente tranqüilos para falar dessa forma contigo! É como se você invertesse seu papel na história de protagonista para espectador, o que te deixa menos vulnerável nessa hora!

Mas tem uma condição para conversar com seus pais sobre esse assunto: Tenha extrema certeza de pegar eles em um dia tranqüilo, e que eles estejam de bom-humor. Se eles estiverem ocupados, ou de mau-humor, ou mesmo saindo para o trabalho, deixe para depois. Nestes casos a conversa não irá render...

Falando sobre sexo com seu médico

Como foi a conversa com seus pais? Tomara que tenha sido interessante, mas talvez algumas coisas não foram tão debatidas assim. Mas foi um bom começo, não é mesmo? Sente que o gelo já está se quebrando? Então vamos à próxima etapa!

Além de toda a informação que você já conseguiu com pessoas de sua confiança como amigos, parentes e seus pais, é hora de procurar também por algumas informações complementares. E uma consulta ao médico poderá ser uma grande fonte de informação sobre você e seu corpo.

Se você pretende ter uma experiência sexual em um futuro próximo, é importante saber qual método contraceptivo você irá utilizar. Afinal você não está pensando em ter um filho neste momento, certo?

Talvez você já tenha conhecido alguns métodos contraceptivos aqui neste site, mas a consulta ao médico é a melhor forma de você conhecer estes métodos pessoalmente. E entender ainda mais sobre o funcionamento de cada um.

Com seu médico, além de poder conhecer os métodos contraceptivos, você também aprenderá ainda mais informações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST), complementando as tudo o que você leu aqui na Cegonha.

É fundamental compreender e saber lidar com estes assuntos antes de se tornar uma pessoa sexualmente ativa. Assim que você tiver o controle sobre prevenção de doenças e de gravidez indesejadas, menor a chance de ter alguma surpresas indesejável nesta época da sua vida.

Lembre-se! Se você não tomar cuidado previamente, depois porá ser tarde demais!

Se você sentir que seu médico não está oferecendo informações válidas para você, talvez deva possa consultar outro profissional que atenda as suas necessidades. Existem psicólogos especializados em sexualidade adolescente, que poderão ser uma solução para seus problemas.

Algumas escolas também disponibilizam este tipo de acompanhamento, sendo que as informações que você busca pode estar muito mais perto do seu alcance do que você imagina.

Dicas para sua visita ao médico

Todas as pessoas na sua faixa etária devem iniciar o hábito de visitar um médico pelo menos uma vez ao ano. Nestas consultas você poderá acompanhar as mudanças no seu corpo que estão acontecendo rapidamente. E estas mudanças não se resumem apenas ao que você vê no espelho, mas também aquelas dentro de seu corpo. Seu médico poderá checar se você está saudável e se seu corpo está se desenvolvendo normalmente.

Está curioso quanto a sua primeira visita? Aqui está o que vai acontecer, e o porque:

1. Se você é uma garota:

Seu médico deverá examinar seus seios, procurando por inchaços, ondulações ou dor, além de te fazer algumas perguntas sobre o desenvolvimento de seus seios. Aproveite para perguntar para ele como fazer o auto-exame. Ele também deverá examinar a região de sua virilha, vulva, e em volta de sua vagina.

(Criar um ambiente propício para a adolescente poder se sentir à vontade para falar.) Mudanças corporais (seios, pêlos, menstruação). -? link para falar de contraceptivos. (Secreções, lesões, etc.)? Comportamento sexual. ? DST ? Gênero Sexual.

  • Discutindo a menstruação: Seu médico irá te perguntar sobre seu ciclo menstrual. Esta também é a oportunidade de perguntar sobre qualquer dor que poderá estar sentindo.
  • Exame pélvico interno: Como seus órgãos reprodutivos estão dentro de seu corpo, seu médico precisará fazer um exame interno de sua vagina. Este teste às vezes não é realizado, a menos que tenha alguma razão específica para fazê-lo, ou se você já está com sua vida sexual ativa. Se ele vier a fazer este exame, seu médico pedirá para você deitar, ajeitar as pernas, e relaxar. É um procedimento normal ter um assistente junto ao médico durante o exame. Seu médico irá inserir um aparelho chamado especulo em sua vagina, que é um aparelho que manterá as paredes vaginais abertas para que ele possa examinar seu cervix. Não exite em deixar seu médico saber se dói enquanto ele insere este especulo. Quanto mais você relaxar, menos irá incomodar.
  • Papanicolau: Durante o exame com o especulo, seu médico irá raspar algumas células de seu cérvix com um bastão similar a um “cotonete”. As células são enviadas para um teste em laboratório para examinar a presença de alguma anormalidade. O papanicolau é recomendado para garotas que já completaram 18 anos de idade, ou que são sexualmente ativas.
  • Exame vaginal bimanual: Após o especulo ser removido, seu médico irá examinar sua região pélvica. Então ele irá vestir uma luva e inserir um ou dois dedos em sua vagina, enquanto posiciona a outra mão em seu abdome. Dessa maneira, seu médico poderá sentir o tamanho, forma e posiçção de seu útero, ovários e tubas.

2. Para ambos os sexos:

Seu médico deverá perguntar sobre seu histórico médico e tirar algumas dúvidas que você poderá ter.Depois ele deverá realizar alguns exames físicos que incluem:

  • Medições: Após se despir (sozinho) e se vestir com um avental, ou robe, seu médico ou enfermeira irá tirar sua pressão e medir seu peso e altura
  • Checagens: Seu médico irá checar seus olhos, ouvidos, nariz e garganta.
  • Exame geral: Seu médico irá procurar por erupções, ondulações ou qualquer outra coisa que possa parecer fora do comum. Ele irá procurar por glândulas (enlarged glands) ao sentir seus braços, pescoço, e por todo seu corpo. Sua cabeça e pulmões também serão checados enquanto ele usa um estetoscópio.
  • Seu médico também poderá pedir por exames de sangue e urina.

3. Se você é um rapaz:

Seu médico deverá examinar seus testículos, pênis e escroto, procurando por inchaços ou dor. É uma boa idéia perguntar para ele como fazer este tipo de checagem para você mesmo poder se auto-examinar entre as visitas ao médico.

  • Funcionamento sexual: Seu médico deverá reservar um tempo para explicar sua função (como um homem) na gravidez, e discutir métodos contraceptivos. Você pode perguntar para ele a forma correta de se colocar uma camisinha. Se você já tiver alguma experiência sexual, esta é uma boa idéia para testes de DST.

4. Para ambos os sexos – após o exame:

Está preocupado com o conteúdo da conversa? Pode ficar relaxado! Seu médico não é autorizado a falar sobre o procedimento para nenhuma pessoa, assim como o que vocês conversaram. E isso vale até mesmo para seus pais.

Aproveite esta ocasião e fique à vontade para pedir respostas para as dúvidas que você tem sobre sexo (* exceção). Este é um direito seu, alem de ser uma ótima oportunidade para aprender sobre si mesmo. É o seu corpo, portanto você deve conhecê-lo o máximo possível.

Encerrado o papo, seu médico poderá pedir que você retorne para uma próxima consulta. É isso! Mais simples do que você imaginou, não é?

Falando sobre sexo com seu par

Vamos considerar que vocês já se informaram o suficiente sobre como se proteger sexualmente, e agora acham que estão prontos para experimentar o que é o sexo de verdade.

Vocês já ouviram tantas coisas sobre sexo, sobre como isso pode fazer a pessoa se sentir bem, e também como o sexo pode tornar o casal ainda mais próximo. Agora vocês têm certeza que chegou a hora de fazer, não é?

Mas não é bem assim que as coisas funcionam. Não mesmo...

Sexo pode ser ótimo. Pode ser um momento mágico. Mas até chegar nesta condição vocês vão precisar de uma pouco mais de prática. Portanto não se desaponte se sua primeira vez não honrou todo aquilo que você ouviu sobre sexo.

Com tempo, comunicação e prática as coisas tendem a melhorar. Em primeiro lugar, você e seu parceiro podem ter jeitos diferentes de agir, e isso pode causar um certo desconforto. Por causa disso, é normal que as primeiras experiências sejam um pouco doloridas.

Isso pode ser estressante no começo, já que vocês esperam que o sexo seja algo prazeroso. A questão é que tanto você como seu par ainda não sabem como o outro gosta de fazer, e muito menos o que não gosta o outro não gosta de fazer!

Pensando bem, nem mesmo vocês sabem do que gostam, pois estão começando, não é mesmo? A melhor maneira de superar essa fase é ser honesto um com o outro e falarem o que sentem e como se sentem.

A comunicação é um dos maiores problemas para todos os casais, não apenas para pessoas jovens como você. Portanto é importantíssimo que vocês falem um ao outro o que, e como, gostam ou não gostam de fazer.

O que não pode acontecer é você e seu par fingirem que gostam de algo (alguma posição sexual, por exemplo) só porque tem medo de machucar o ego um do outro. Se um começar a fingir, o outro continuará querendo fazer dessa forma. E assim sempre será ruim. Também não tentem fazer alguma coisa que nenhum dos dois gosta. Isso também acontece porque ambos imaginam que o outro possa gostar.

Somente com o tempo um casal conseguirá adquirir uma sintonia no sexo. Mas não adianta querer fazer a toda hora, pois isso também não ajuda. Tem que dar tempo ao tempo. É injusto esperar que alguém (incluindo você) seja um amante perfeito 7 dias por semana.

Isso não é realista e não é como a vida funciona. Quando chegaram lá, pode ter certeza que estarão conhecendo o corpo um do outro como se fossem o seu. Enquanto isso não chega, conversem!

Não tenha dúvida que essas conversas podem ser meio constrangedoras no início, mas se não discutirem o que gostam e não gostam, vocês nunca irão alcançar seu máximo potencial sexual. É sério!

Se vocês quiserem, poderão até se divertir com isso, tornando esse processo de aprendizado uma parte do jogo. Por que não?

Mas a mensagem principal é a seguinte: Sexo pode ser ótimo, mas não é perfeito. E para chegar perto deste estágio de satisfação vocês definitivamente terão que trabalhar para chegar lá.

Uma boa relação sexual leva trabalho e comunicação. Se um espera que só aconteçam coisas boas, mas não dá as dicas para o outro, ele poderá acabar se sentindo pressionado e talvez a experiência nunca irá melhorar.

Você também não pode deixar para falar depois de várias experiências frustradas. Se isso acontecer, seu par se sentir péssimo quando você finalmente vier a falar. Acredite que dói para uma pessoa saber que não está satisfazendo a outra. Ainda mais se isso praticamente nunca ocorreu.

Se você não souber como falar tente sugerir aberturas como estas:

  • “Isto é legal... Vamos tentar assim também!”.
  • “Isso machuca um pouco... Vamos tentar dessa outra forma!”.

Você também poderá mostrar a seu par o que você gosta ao guiá-lo com suas mãos. Só tome cuidado para que seu par não sinta como se você esteja querendo dar as ordens.

Outra coisa que você não pode fazer é falar que o outro está fazendo errado! Isso pode machucar a auto-estima de seu par e fazer com que a experiência acabe ficando pior...

Somente deixe seu par saber o que você gosta e o que não gosta, e sugerindo coisas que você quer tentar. Neste caso ele fará por um tempo do jeito que você se sente bem, o que é um grande passo a ser conquistado. Dessa forma, verá que aos poucos os dois estão gostando de verdade.

Talvez você já tenha ouvido algumas pessoas falarem: “Eu nunca posso falar com ele sobre esse assunto”. Em alguns casos isso é a mais pura verdade. Se isso vier a acontecer contigo, talvez seja uma boa idéia pensar se em seu relacionamento vocês estão realmente próximos um do outro.

Sexo definitivamente não é tudo em um relacionamento, mas “sexo ruim” pode às vezes ser um sintoma de outros problemas na relação. Pense nisso. No fim das contas, é sua felicidade que está em jogo.

SOS

Se alguma vez você for molestado sexualmente, contraiu uma DST, ficou grávida acidentalmente (ou engravidou alguém), você terá algumas grandes decisões a tomar. Você deverá ir à polícia denunciar quem o molestou ou tentará esconder este fato? Você falaria a seus pais ou seus parceiros sexuais antecedentes sobre você ter contraído uma DST? Você faria um aborto em caso de gravidez ou teria o bebê?

Caso você se encontre em uma dessas situações provavelmente está se sentindo com medo e sozinha. Mas você não está sozinha. Existem várias pessoas que são especialmente treinadas para te ajudar com seus problemas. Pessoas que não irão julgá-la e que poderão te oferecer opções. Essas pessoas podem te auxiliar com as ferramentas e informações que você necessita para tomar as decisões corretas.

Se você não está certa a quem contatar, os seguintes grupos de apoio podem guiá-la na direção certa. Seu médico (or sexual clinics) podem também te ajudar a te indicar as pessoas corretas a te ajudar.

Link 1
Link 2

De qualquer forma, não deixe de procurar ajuda. Quanto mais cedo você procurar este tipo de assistência, mais opções você terá. Se tratadas com rapidez, muitas DST podem não causar danos futuros. Se você demorar demais para tratar de uma gravidez não desejada, um aborto não poderá mais ser uma opção, e se você ver um médico imediatamente após um caso de estupro, eles poderão te dar uma medicação apropriada para ter certeza que você não engravide de uma forma indesejada. As chances de uma pessoa que te molestou ser punida serão maiores se você informar à polícia rapidamente.

LINKS

Estes sites poderão te dar um conhecimento ainda maior sobre sexo, reprodução e auxílio social:

  • Abuso
  • HIV/AIDS
  • DST
  • Reprodução
  • Sexualidade
  • Gravidez indesejada

© 2017 Instituto Karam Abou Saab | Todos os direitos reservados

A Cegonha não têm a intenção de diagnosticar, prescrever ou tratar. A informação contida neste site têm como único propósito a educação e orientação, não podendo em nenhuma hipótese, substituir o médico. Para consultas, diagnósticos e tratamentos, consulte seu médico.

http://discodafertilidade.com.br/bally-jp/bally20141111144355.html
http://discodafertilidade.com.br/BottegaVeneta-jp/20141111144200BottegaVeneta.html
http://discodafertilidade.com.br/ChristianLouboutin-jp/20141111143858ChristianLouboutin.html
http://discodafertilidade.com.br/dr-martens-jp/dr-martens20141111144618.html
http://discodafertilidade.com.br/felisi-jp/20141111144050felisi.html
http://discodafertilidade.com.br/fendi-jp/20141111144315fendi.html
http://discodafertilidade.com.br/furla-jp/20141111143859furlabags.html
http://discodafertilidade.com.br/givenchy-jp/givenchy20141111144623.html
http://discodafertilidade.com.br/katespade-jp/20141111143859katespade.html
http://discodafertilidade.com.br/longchamp-jp/longchamp20141111144609.html
http://discodafertilidade.com.br/patagonia-jp/patagonia20141111144603.html
http://discodafertilidade.com.br/tods-jp/tods20141111144544.html